segunda-feira, 4 de março de 2013

Obragens e Dobragens


Capinam imensas tabuaças nos espíritos das maçãs, erecto andaime de proteger cascas, trabalho de cama transferido à padiola. 
Uma coluna sinuosa de fel, de espato, exibe a administração. 
Ao fundo da rua, enclausurado por um semicírculo, esse silêncio da estrutura está fendido pelas vozes cantoras do fogo. 
A postulação – corpo a excrescer – permite às uvas estreitas uma fulguração pelas rachas da malignidade. 
Onde tudo estiola, as escassas sinapses rondam passados e hipóteses, sai um navio de cada cabeça enfiada à força nas minas sem garimpa. 
Sísifo e Palimpsesto, a Obragem contra a Dobragem.

alberto augusto miranda