sábado, 6 de abril de 2013

caoscopia




en muchas direcciones, corazón, amo

– no me culpes por no llevarte a pastar por donde no pude:

veo la sombra aún respiro abajo lo presente sólo fue una opción
larvada (25). Lo demás,

no lo conocí

(25) Todo está por fuera pero se entiende en el cogollo orgánico, cuando la vida
cuece: las formas devienen siempre en la era del frío. Entretanto, en los
bordes se deposita todo lo posible, y por el deseo cristaliza lo no más verdadero
estable (26).

(26) Pirita, estambre, espuma… hasta el ocho tumbado – el resto de las
cosas, sombra inexistente, hace de
igual forma este camino. Atiende: abre las venas de los mundos (27)

(27) Puebla los pantanos de tifáceas transparentes



em muitas direcções, coração, amo

-não me culpes por não te levar a pastar aonde não consegui:

vejo a sombra ainda respiro abaixo o presente só foi uma opção
larvar (25). O resto,

não conheci     

(25) Tudo está por fora mas compreende-se no miolo orgânico, quando a vida
coze: as formas acontecem sempre na era do frio. Entretanto, nas
margens deposita-se todo o possível, e pelo desejo se cristaliza o não mais verdadeiro
estável (26)

(26) Pirite, estame, espuma… até o oito deitado – o resto das
coisas, sombra inexistente, faz
igualmente forma este caminho. Atende: abre as veias dos mundos (27)

(27) Povoa os pântanos de tifáceas transparentes


(tradução: alberto augusto miranda)